Fundação Volkswagen apoia seminário sobre educação inclusiva

Evento discutiu os avanços e desafios da inclusão de pessoas com deficiência nas escolas
Publicado em
Foto: Mariana Pekin

No dia 19 de fevereiro, aconteceu em São Paulo (SP) o seminário “Educação inclusiva: desafios e oportunidades”. O evento foi realizado pela Associação Nova Escola, com apoio da Fundação Volkswagen e do Instituto Rodrigo Mendes, e reuniu especialistas e educadores para discutir os avanços e desafios da inclusão de pessoas com deficiência nas unidades escolares. A ocasião marcou, também, o lançamento do Caderno Brincar – volume 2 (clique para acessar gratuitamente a versão digital do Caderno).

“Em 2019, a Fundação irá comemorar 40 anos, em meio a um intenso processo de renovação. Inspirados pelo propósito ‘Conhecimento que move pessoas’, estamos abraçando três causas prioritárias, no âmbito da educação e do desenvolvimento de comunidades: mobilidade urbana, mobilidade social e inclusão de pessoas com deficiência. Entre as iniciativas de inclusão, está o projeto Brincar, que deu origem à publicação que estamos lançando hoje. É o segundo volume de uma coleção que teve início com a compilação de artigos acadêmicos inéditos e que, agora, demonstra como é possível levar aqueles referenciais teóricos para o cotidiano das escolas”, comemorou Vitor Hugo Neia, representante da Diretoria Executiva da FVW, na abertura do evento.

O seminário foi dividido em duas mesas. Na primeira, professores da rede pública municipal, aluna e especialista em educação inclusiva dialogaram a partir da realidade de quem está em sala de aula. “Estudei no Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (Cieja) Campo Limpo até concluir o Ensino Fundamental, depois mudei de escola e não fui tão aceita. Eu ia feliz para o Cieja, mas na outra escola não conseguia acompanhar o conteúdo e fazer muitas amizades. Mas tive uma segunda chance e voltei para lá como ouvinte, foi um milagre”, revelou Mônica Rocha, que tem Síndrome de Down.

Na segunda mesa, Eliane de Souza Ramos (Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas), Carla Mauch (coordenadora-geral da OSCIP Mais Diferenças) e Luiz Conceição (especialista em formação do Instituto Rodrigo Mendes) refletiram sobre os avanços da educação inclusiva nos últimos anos. “Não vou aprender Libras porque o aluno precisa, mas porque assim terei mais uma forma incrível de ensinar e aprender. Não estou fazendo um favor para o aluno; ele tem esse direito”, afirmou a coordenadora da Mais Diferenças, parceira da Fundação Volkswagen na realização do projeto Brincar.

Para mais informações sobre o evento, clique aqui e acesse reportagem completa da Nova Escola.

 
O conteúdo do nosso site pode ser acessível em Libras usando o VLibras