Fundação Volkswagen promove roda de conversas sobre educação inclusiva

O objetivo foi refletir sobre práticas pedagógicas inclusivas na Educação Infantil, a partir do projeto e do Caderno Brincar
Publicado em

A Fundação Volkswagen promoveu, no dia 22 de agosto, uma roda de conversas na Biblioteca Parque Villa-Lobos, em São Paulo (SP). O objetivo do evento, voltado a educadores da Secretaria Municipal de Educação (SME-SP), foi refletir sobre práticas pedagógicas inclusivas na Educação Infantil, a partir das experiências do projeto e, especialmente, do Caderno Brincar – volume 2 (acesse a área de materiais educativos e faça o download gratuito).

A conversa teve início com um bate-papo entre representantes da Fundação VW, Associação Nova Escola, Mais Diferenças, SME-SP e a Prof.ª Tizuko Morchida, da Universidade de São Paulo (USP). “Mais do que um direito de aprendizagem, a Fundação Volkswagen acredita no brincar como uma poderosa ferramenta pedagógica capaz não somente de incluir crianças com e sem deficiência nas escolas comuns, mas também de envolver a comunidade escolar e as famílias dos alunos. Afinal, inclusão é uma tarefa de todos nós”, enfatizou Vitor Hugo Neia, da FVW, em sua fala de abertura.

Tizuko Morchida – docente da Faculdade de Educação da USP que participou tanto da organização dos cadernos Brincar (volumes 1 e 2) quanto da concepção do próprio projeto – refletiu sobre a importância da brincadeira no desenvolvimento infantil e sobre a formação de educadores em práticas inclusivas. Ao falar dos referenciais que fundamentam o projeto, ela destacou que “não bastam as concepções teóricas. É preciso colocar a mão na massa. Para mudarmos uma prática, é necessário atitude, ou seja, aquilo que nos leva a fazer uma ação. Se queremos mudar a realidade, precisamos agir para que essa mudança se efetive. A inclusão significa impactar a vida de cada criança, com ou sem deficiência. Ao mesmo tempo, a prática sem reflexão se perde. Quando ela vem iluminada pela razão, ela perdura”.

O encontro reuniu cerca de 40 educadores da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP)

O bate-papo prosseguiu com a jornalista Maggi Krause – representante da Nova Escola; Carla Mauch – coordenadora-geral da Mais Diferenças; Sandra Takano – da Divisão de Educação Infantil da SME-SP; e Ana Paula Masella – da Divisão de Educação Especial da SME-SP. “Todas as crianças são sujeitos e têm o direito de aprender e de estar na escola. Tanto o projeto quanto o Caderno Brincar são resultados de um esforço coletivo daqueles que estão hoje aqui representados. Aprendemos novas possibilidades, principalmente a partir da mudança de olhar. O currículo de São Paulo é uma referência nacional em educação na perspectiva inclusiva e essa publicação materializa o trabalho que temos feito em parceria com a Fundação Volkswagen nesse projeto”, afirmou Ana Paula.

Na sequência, os educadores participantes do projeto Brincar que estavam no encontro puderam relatar suas experiências e vivências, reforçando a importância da inclusão na Educação Infantil e as transformações que a iniciativa proporcionou em suas trajetórias.

Sobre o Brincar

O Brincar é um projeto de educação realizado pela Fundação Volkswagen em parceria com a OSCIP Mais Diferenças e a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP). Seu objetivo é contribuir para o fortalecimento da qualidade da educação, em uma perspectiva acessível e inclusiva, que envolve a todos: alunos, comunidade escolar e familiares. Ao brincar, a criança fortalece vínculos e desenvolve competências essenciais. O projeto contribui para que o brincar cumpra, também, outro papel fundamental: o da inclusão. Isso acontece independentemente das condições físicas, intelectuais ou sociais das crianças, especialmente no início da trajetória escolar. Já o Caderno Brincar é uma iniciativa da Fundação VW com a Associação Nova Escola.

 
O conteúdo do nosso site pode ser acessível em Libras usando o VLibras